Vigilância Ambiental alerta que maior parte dos focos do Aedes aegypti está nas casas