FOLHA METROPOLITANA Jornal diário de Joinville e Araquari

Quem SomosAnuncieContato /     Publicações Legais

   jornalismo@folhametropolitana.com

Prefeitura de Joinville segue monitorando abastecimento de água

A Prefeitura e a Companhia Águas de Joinville mantêm o acompanhamento e o monitoramento na Estação de Tratamento de Água (ETA) Cubatão. A análise da água tratada, realizada a cada 30 minutos, mostra que desde que o serviço foi restabelecido, na manhã de terça-feira, 30, a água é considerada potável para o consumo, estando dentro dos parâmetros recomendados.

Durante a madrugada e manhã desta quarta-feira, 31, todos os reservatórios já haviam recebido água e estavam com o nível dentro da normalidade. Para isso, uma bomba extra, além das cinco que atuam periodicamente na distribuição de água na cidade, foi acionada para acelerar o processo.

A prioridade foi garantir o fornecimento para hospitais e demais unidades de saúde, que neste momento já recebem água pela rede de abastecimento. Paralelo a isso, os imóveis residenciais e comerciais passaram a ter o serviço normalizado.

A previsão é que no decorrer desta quarta-feira, os imóveis que ficam em locais mais afastados ou em regiões mais altas do município tenham o abastecimento de água totalmente restabelecido.

Gabinete de Crise segue acompanhando

Na segunda-feira, 29, um caminhão carregado com Ácido Lineal Alquilbenceno Sulfônico (LAS), tombou e derramou parte da carga no Rio Seco, um afluente do Rio Cubatão, de onde é captado água para abastecer cerca de 75% do município de Joinville.

Imediatamente após o acidente, técnicos da Companhia Águas de Joinville interromperam a captação de água e passaram a fazer análises a cada 30 minutos. Desta forma, foi possível garantir que o produto não entrasse na tubulação e que o fornecimento de água potável fosse restabelecido com a maior brevidade possível para a população.

A Defesa Civil de Joinville mantém, juntamente com órgãos estaduais, o acompanhamento dos serviços realizados na Serra Dona Francisca, local onde o acidente ocorreu. O Gabinete de Crise também está instalado e auxilia os demais órgãos, principalmente com informações para as investigações. O Decreto de Situação de Emergência, reconhecido pelo Governo Federal, tem validade de 180 dias.

Receba notícias em seu celular pelo grupo de WhatsApp do jornal Folha Metropolitana Curta nossa página do Facebook e siga-nos no Instagram

Folha Metropolitana

A diferença entre a literatura e o jornalismo é que o jornalismo é ilegível e a literatura não é lida… Oscar Wilde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *