FOLHA METROPOLITANA Jornal diário de Joinville e Araquari

Quem SomosAnuncieContato /     Publicações Legais

   jornalismo@folhametropolitana.com

Pelé toma posse como Vereador na Câmara de Joinville

Cerimônia ocorreu no gabinete da Presidência do Legislativo

Na manhã desta sexta-feira, 22, José Henkel, mais conhecido como Pelé, assumiu uma vaga na Câmara de Vereadores de Joinville. Ele é do MDB e entrou na vaga que era de Mauricinho Soares, que foi afastado na última semana após aprovação em plenário.

Pelé era o segundo suplente do partido e já foi vereador, na 18ª legislatura. Ele tomou posse em gabinete, ao se apresentar para a mesa diretora da casa. Estavam para receber a documentação e dar posse o Presidente Diego Machado, o vice-Presidente Érico Vinícius, o Secretário Luiz Carlos Sales e os vereadores Wilian Tonezi e Nado.

Após entregar todos os documentos, Pelé fez o juramento para ocupar o cargo no parlamento. “É uma satisfação poder contribuir com a sociedade. Desejo trabalhar de forma séria e honesta como sempre fiz e ajudar as pessoas fazendo o que estiver ao meu alcance, destacou.

Entenda o caso

Há duas semanas o Conselho de Ética fez o pedido para que Mauricinho fosse afastado do cargo até que os trabalhos da justiça sejam concluídos. Embora preso, pela lei, ele seguiria no cargo e recebendo subsídio mensal. A Comissão se baseou no Regimento Interno da Câmara. O parágrafo 3º do artigo 6º, diz que “…será aplicada a suspensão pela indisponibilidade de comparecimento às sessões e deliberações”.

Neste caso, segundo o Regimento Interno da casa “O suplente é convocado imediatamente e deverá tomar posse dentro do prazo de quinze dias, salvo motivo justo, aceito pela Câmara de Vereadores. Como se trata de recesso parlamentar, ele poderá ser empossado no Gabinete da Presidência perante a Mesa Diretora”.

Mauricinho enfrenta dois processos na CVJ, um do Conselho de Ética e outro da Comissão Processante. O primeiro avalia o caso da prisão em flagrante do parlamentar por portar uma arma sem registro. Na ocasião ele pagou fiança e foi liberado.

Já pela comissão processante, o afastamento é pela indisponibilidade de comparecer ao legislativo, já que permanece preso. Mauricinho foi detido quando chegava na Câmara no início de dezembro. Ele é suspeito de envolvimento em irregularidades e corrupção no Detran de Joinville. A investigação é da Polícia Civil acerca da operação Profusão.

Receba notícias em seu celular pelo grupo de WhatsApp do jornal Folha Metropolitana Curta nossa página do Facebook e siga-nos no Instagram

Folha Metropolitana

A diferença entre a literatura e o jornalismo é que o jornalismo é ilegível e a literatura não é lida… Oscar Wilde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *