FOLHA METROPOLITANA Jornal diário de Joinville e Araquari

Quem SomosAnuncieContato /     Publicações Legais

   jornalismo@folhametropolitana.com

Palestra sobre mudanças climáticas inaugura nova agenda ambiental da Alesc

A palestra “Eventos Extremos no Contexto das Mudanças Climáticas”, realizada na manhã desta quinta-feira, 6, no Palácio Barriga Verde, em Florianópolis, marcou o início da nova agenda ambiental promovida pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina, por meio do Programa Alesc Sustentável. O evento também marca o início do Mês de Conscientização Mundial em Defesa do Meio Ambiente, celebrado em junho.

Na ocasião, a professora associada da UFSC na área de Oceanografia Física e Coordenadora da Sub Rede Desastres Naturais da Rede CLIMA, Regina Rodrigues, falou sobre a importância da adoção da agenda ambiental pelo poder público.

“As mudanças climáticas estão aumentando a frequência e a intensidade desses eventos extremos e Santa Catarina também está na zona propícia para a ocorrência dos mesmos, então é muito importante isso estar na agenda para que a gente desenvolva políticas públicas de prevenção.”

Entre as iniciativas a serem desenvolvidas neste sentido, ela apontou a criação de um sistema de monitoramento de eventos climáticos, o aumento dos investimentos para a defesa civil e a criação de um plano de contingência visando diminuir a vulnerabilidade das populações afetadas.

“Há várias ações que podem ser feitas, mas a prevenção é muito mais barata do que os efeitos decorrentes das tragédias”, frisou.

Alesc Sustentável

Proponente do evento, o deputado Marquito (Psol) afirmou que o tema é especialmente importante para o estado, que já estaria experimentando os efeitos das mudanças climáticas por meio da alteração no regime de chuvas durante o ano, com aumento no número de estiagens no Oeste e Planalto Serrano, e de enchentes no Sul e Vale do Itajaí.

Ele disse que a realização da palestra também segue a nova linha adotada para o Programa Alesc Sustentável, que foi lançado no ano de 2021 e atualmente passa por uma reformulação, visando desenvolver novas iniciativas no âmbito do Parlamento catarinense para a preservação ambiental.

Além da manutenção das metas estipuladas em ações como o reaproveitamento da água da chuva, a geração de energia solar e a coleta seletiva de resíduos sólidos, a nova agenda do programa prevê a realização de debates com especialistas da área e o plantio de árvores. Esta última ação, inclusive, já começou nesta semana, em Joinville, quando foram plantadas algumas árvores, devendo intensificar-se no final do ano, quando o parlamentar coordenará a formação de todo um bosque, em parceria com agricultores familiares. 

“E também vamos inovar, com uma nova estruturação dos canteiros e das áreas verdes da Alesc, que estão sendo construídas aqui na área de convívio do auditório e nas partes externas. Há, inclusive, a pretensão de incluir abelhas sem ferrão e a utilização de espécies nativas na jardinagem da Casa.”

Plano de adaptação às mudanças climáticas

Na condição de presidente da Comissão de Turismo e Meio Ambiente, Marquito também falou sobre a intenção de se constituir um plano de adaptação às mudanças climáticas específico para o estado.

Segundo disse, a ideia é reunir em um único texto os sete projetos que tratam do assunto e que estão em tramitação na Assembleia Legislativa. Atualmente, só três dos 27 estados brasileiros têm planos de adaptação climática atualizados. Conforme levantamento realizado em 2021 pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), dos 5.570 municípios do país, 1.580 constam no cadastro nacional de risco.

“A gente tem discutido esse tema e acho que a Assembleia Legislativa pode ser muito importante nesse processo, já que o governo do Estado não tem nenhuma iniciativa, nenhum plano, nenhum programa estabelecido”, disse.

Receba notícias em seu celular pelo grupo de WhatsApp do jornal Folha Metropolitana Curta nossa página do Facebook e siga-nos no Instagram

Folha Metropolitana

A diferença entre a literatura e o jornalismo é que o jornalismo é ilegível e a literatura não é lida… Oscar Wilde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *