Luiz Carlos Prates: Viver muito