CRÔNICA DAS ARTES: Mea Culpa!