Cidadão pode auxiliar na fiscalização